Estudar

SOMOS ISEP: Ricardo Macio
09-08-2017

Nos primeiros tempos no ISEP, o estudante da Licenciatura em Engenharia Eletrotécnica e de Computadores Ricardo Macio sentia-se como um ‘emigrante’. Mas a experiência acabaria por se revelar bem melhor do que estava à espera, ao ponto de hoje considerar o Instituto como a sua casa. Chegou mesmo a ser entrevistado para a RTP1 no âmbito das II Jornadas de Emprego e Engenharia. O jovem gosta de estar envolvido em várias atividades e por isso deixa uma sugestão: “Um maior esforço para uma maior adesão dos estudantes em iniciativas seria ótimo.”

- Porque escolheste o ISEP?

Desde o início, sabia que engenharia seria o meu rumo. Tal como alguns colegas, o ISEP não foi a minha primeira escolha devido à ignorância que nos transmitem no Ensino Secundário: "A Universidade é melhor que o Politécnico". Hoje, posso dizer com toda a convicção: Obrigado aos senhores da DGES por me colocarem no ISEP, melhor seria impossível!

- Como recordas os primeiros tempos?

Recordo que me sentia um emigrante e, de certa maneira, tinha medo de começar mal e falhar logo um semestre, ou um ano inteiro, afinal já não era a ‘brincadeira’ do Secundário. Hoje, passando por tudo, sei que não há nada que empenho não resolva.

- O que mais te fascina no teu curso?

A sua versatilidade é o ponto mais forte, acabamos por perceber um pouco de tudo. 

- Quais as atividades a que te dedicas além dos estudos?

Dedico-me à prática desportiva, tanto um bocado de ginásio para libertar o stress do dia a dia, como um passeio de bicicleta para relaxar a mente. Também costumo estar envolvido em voluntariado, não pelo currículo, mas pelo gosto de ajudar os outros.

- Queres partilhar algum episódio caricato passado no ISEP?

Quem me conhece pessoalmente sabe que episódios caricatos não me faltam, de momento só me estou a lembrar de, nas Jornadas de Engenharia deste ano, pedirem-me para falar com a RTP. Antes da entrevista, o presidente da Associação de Estudantes chamou-me à parte e disse-me que ia ser entrevistado. Para quem não viu a entrevista, passei o tempo todo a olhar à volta para saber o que dizer e cortaram a emissão só para tornar o meu momento melhor... Ainda hoje, os meus colegas brincam comigo.

- Qual a receita para se lidar com a azáfama do quotidiano?

Eu, normalmente, tiro um dia de folga por semana e junto-me com os meus amigos a jogar umas cartas. Mas pode ser qualquer coisa, tem é de ser um momento que nos faça esquecer do resto.

-Qual o segredo para o sucesso?

Sem dúvida, que é organização, empenho e objetivos bem definidos, se possuirmos essas três caraterísticas, conseguimos tudo o resto.

- Que aspetos diferenciam o ISEP?

A vertente prática dos cursos, o ambiente que certos professores criam numa sala de aula para que ninguém tenha medo, ou vergonha de questionar algo, e um sentimento de bem-estar, é a nossa casa.​

- Qual o melhor canto e recanto desta casa?

Para mim, o melhor canto é a cantina. É bastante acolhedora e confortável, o que proporciona tanto um bom almoço, como uma boa tarde de estudo.

- Uma ideia para crescermos mais?

Na minha opinião, muitos estudantes passam pelo ISEP para apenas terem aulas, esquecem-se que o ISEP não tem só esse objetivo. Um maior esforço para uma maior adesão dos estudantes em iniciativas seria ótimo.

Perfil

Cinema: "Correio de risco" (filme), Will Ferrel, Jason Statham, Jean Claude Van Dame (atores).

Música: Depende do momento.

Viagem de sonho: Dubai.

Gastronomia: Arroz de cabidela.

Lazer: Conviver com amigos.

Desporto: Bicicleta.

Se pudesse mudar o mundo: Acabava com as empresas que ocultam curas para doenças, só para ganharem com "tratamentos".

Filosofia de vida: Não faças aos outros o que não gostas que te façam a ti!

ISEP numa palavra: Casa.

A rubrica SOMOS ISEP pretende dar a conhecer alguns dos rostos que integram a nossa comunidade. Sendo muito mais do que uma instituição de Ensino Superior, o ISEP é também uma segunda casa para milhares de pessoas. Estudantes, docentes e colaboradores enriquecem diariamente o Instituto. Este novo espaço destina-se, assim, a cada um dos membros da família ISEP