Investigação

Primeira rede europeia de escolas técnico-profissionais
16-01-2017
gilt_zona1.jpg

O GILT (Games Interaction and Learning Technologies), um dos vários grupos I&D que integram o ISEP, participou no projeto Innotecs (International Network of Thecnical Schools), que foi financiado pela União Europeia (UE) ao abrigo do programa Erasmus+. Como resultado, surgiu a primeira rede europeia de escolas profissionais na área técnica.

O projeto surgiu da necessidade de se contrariar a tendência de desemprego jovem, visando conferir uma dimensão integrada a nível europeu à educação e formação técnico-profissionais. Não obstante o seu término oficial em 2016, os trabalhos em torno do Innotecs, que também designa a associação supramencionada, continuam a desenrolar-se.

Deste modo, alguns dos objetivos que nortearam o projeto estão também patentes na atual rede homónima. O investigador responsável do ISEP, Nuno Escudeiro, destaca os seguintes: “Aumento da visibilidade da importância da qualificação tecnológica; criação de respostas para as necessidades de recrutamento e contribuição para o enriquecimento do capital humano das empresas; criação de oportunidades de estágios internacionais; promoção da mobilidade e a empregabilidade dos jovens, entre outros.”

De forma sui generis, o Innotecs pode ser entendido como um portal internacional destinado a todas as escolas munidas com um departamento de Ciência, Tecnologia, Engenharia ou Matemática. No âmbito desta rede são também tratadas as necessidades futuras da indústria, objetivando o acesso das escolas a mais informação para, por acréscimo, melhor prepararem as suas estratégias.

Outro facto importante, a mencionar, respeita à inclusão do Innotecs na plataforma Praxis; esta última promove o encontro entre os estudantes do Ensino Superior, as empresas e as instituições em geral, apostando na divulgação de projetos e vagas de emprego por toda a Europa. “Com a integração dos estágios do ensino profissional no Praxis, que está disponível desde janeiro de 2017, esta plataforma toma, uma vez mais, a dianteira na área europeia da Educação. Trata-se, assim, do único espaço online que abrange todos os níveis de qualificação”, destaca Nuno Escudeiro.

Com a concretização de alguns dos maiores objetivos, como a criação da rede e a associação ao Praxis, o Innotecs relevou-se um sucesso. “Em dois anos de desenvolvimento [os trabalhos iniciaram em 2014], foram alcançados resultados muito positivos: a dimensão da rede [com cerca de cem membros em 18 países]; a diversidade cultural; o número de organizações envolvidas e o feedback positivo verificado nos encontros e conferências internacionais; são todos indicadores de êxito”, acrescenta o docente do ISEP.

Importa destacar que este projeto já proporcionou a criação de um novo – GirlsTech –, que dará continuidade à promoção e visibilidade do Ensino Profissional, mas direcionando-se para um público-alvo feminino. Além disso, prevê-se a realização anual duma conferência da rede Innotecs, à semelhança das anteriores no Chipre e em Espanha.

O GILT tem empregado esforços no desenvolvimento de diversos estudos e projetos de investigação, que contribuam a grosso modo para um melhor e maior conhecimento e implementação das TIC (Tecnologias de Informação e Comunicação) na Educação e Aprendizagem. São exemplos de trabalhos recentes o eCity, o ICTWays, ou o VirtualSign.