Outro

Museu do ISEP integra a Rede Portuguesa de Museus
01-09-2015
Isep_Museu_2015_destaque.jpg

A Rede Portuguesa de Museus (RPM) passa a ser constituída por 146 museus, contando com mais quatro instituições credenciadas, entre os quais o Museu do Instituto Superior de Engenharia do Porto, tornando-se assim no segundo museu de ciência e tecnologia a integrar a RPM, a par do Museu Nacional de História Natural e da Ciência da Universidade de Lisboa.

Para Patrícia Costa, responsável da Divisão de Documentação e Cultura do ISEP, «esta adesão significa que a coleção de instrumentos científicos do século XIX do museu do ISEP está entre as melhores a nível nacional. A integração do Museu do ISEP na RPM é o reconhecimento público, pela entidade que rege os museus nacionais, da qualidade da coleção de instrumentos científicos e do trabalho museológico desenvolvido nos últimos 15 anos», realça.

Criado em 1998, a coleção museológica do Museu do ISEP espelha a qualidade científica e académica de uma instituição com 163 anos. Este reconhecimento «como fator de promoção do acesso à cultura e enriquecimento do património cultural português, é fruto da contínua aposta desta instituição de ensino na preservação do nosso espólio que, ao invés de estar fechado nas salas de aula e nos laboratórios, está exposto, gratuitamente, ao público», ressalva João Rocha, presidente do ISEP. Atualmente o Museu do ISEP recebe uma média de 1200 visitantes/ano.

O acervo do Museu do ISEP é um testemunho do ensino técnico desde a criação da Escola Industrial, em 1852. É possível apreciar objetos e instrumentos de ensino de laboratórios e gabinetes, material didático e exemplares dos avanços tecnológicos e científicos do século XIX e XX de que são exemplo máquinas e aparelhos de física, utensílios de química, sistemas de telegrafia elétrica, modelos de distribuição a vapor, peças de máquinas e tipos de engrenagens, modelos de transmissão por correias, uma locomotiva a vapor, além de estampas, bilhetes postais, desenhos, coleções de fotografias, fotogravuras e fototipias que ilustram a construção do Porto de Leixões.

O Museu do ISEP inclui ainda um acervo de mais de 2000 obras do seu arquivo histórico e bibliográfico, de que são exemplo raridades como a Enciclopédia de Diderot e Alembert, o livro de física de Musschenbroeck ou um livro de arquitetura de Leon Battista Alberti.